Auto-gerenciamento como etapa para superação do Pânico

Durante uma crise de pânico a pessoa tem a sensação de que seu corpo está fora de controle: o coração dispara, a respiração fica difícil, as extremidades gelam, as mão transpiram… Esta experiência de “descontrole” pode ser emocionalmente devastadora, minando o sentimento de confiança e auto-estima. A pessoa passa então a evitar situações onde imagina que aquilo poderia ocorrer de novo. Frente ao primeiro sinal de mal estar, o temor e a insegurança crescem e o sentimento de impotência domina.
Uma etapa importante na superação do Pânico é desenvolver a capacidade de influenciar o estado de excitação interna, aprendendo a acalmar o corpo. Isto é possível pelo aprendizado de estratégias de auto-gerenciamento, que envolvem diversas técnicas que agem sobre a respiração, a postura, o tônus muscular, o olhar, a atenção etc.
Aprender a se influenciar, iniciando um diálogo construtivo com as sensações e emoções aumenta o sentimento de segurança, diminui o sentimento de vulnerabilidade e consequentemente ajuda a diminuir a incidência das crises de pânico.

Esta entrada foi publicada em Pânico. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

35 respostas a Auto-gerenciamento como etapa para superação do Pânico

  1. sandra cristina disse:

    procurei ja´varios medicos e eles me dizem que tenho ansiedade; so que e muito confuso porque tenho medo de tudo entaõ acho que tambem tenho panico e o psiquiatra me receitou paroxetina+alprazon so que naõ tomo mais a paroxetina porque me faz mal omeu medico dis que é´assim mesmo que piora para depois melhorar mas eu acho que se voce procura um medico é´para melhorar e naõ piorar entaõ eu so estou tomando o alprazolan.queria saber o que posso fazer para melhorar e sair de uma vez dessas crises que me atormenta tanto. se tiver alguem ou algum medico que possa me ajudar entre no meu site. obrigado;

  2. Artur disse:

    Oi Sandra
    É comum que a pessoa se sinta “pior” nas primeiras semanas, quando inicia a medicação, até que haja um “ajuste” do corpo e a medicação comece a ter um bom efeito. Converse com seu médico a respeito.
    O mesmo ocorre nas primeiras semanas da retirada da medicação, quando a pessoa também se sente alterada e se assusta, achando que está tendo uma recaída. Isto leva muita gente a continuar com a medicação quando já estaria no ponto de pará-la. A entrada e a saída da medicação são pontos mais delicados e é melhor estar com um suporte psicológico nesta hora.

  3. felipe chacon disse:

    bom faz quase dois anos que estou com essa crises de panico
    mais so foi descorberta a mais ou menos uma semana atraz!!
    sabe é bem dificil eu so tenho 17 anos e não consigo me livrar dessa pertubação!!ha possibilidade de ser curado sem tomar ANTEDEPESSIVOS?
    por favor me ajude!!!!
    grato

  4. Juliana disse:

    oi felipe, sou juliana tenho 25 anos e tambem estou passando por isso, sabe felipe, uma coisa eu te digo, nao sei c tem religiao, e nao importa desde que acredite numa força superior q é DEUS, e nao importe como c apegue a ele, Ele é poderoso nessas e outras situações, alem de Poder contar com Deus, Leia sobre o assunto na net, ou em livros, c nao c sentir a vontade em falar para os outros, vc vai ver q o primeiro passo é vc reconhecer, o q ta acontecendo com voce mesmo, ai quando a crise vem voce conversa com voce mesmo por que ja compreende o que esta acontecendo com seu proprio corpo, nessa etapa voce passa a descobrir formas de lutar contra voce mesmo. conte comigo e ore sem cesar. essas coisas passam só Deus não Acredite.

  5. viviane disse:

    tenho a sindrome do panico ha uns 3 anos tenho me tratado com a fluoxetina e fiz psicoterapia, hoje vejo que consigo me controlar um pouco mas as vezes parece tao forte esses sentimentos que ate parece q vou explodir tamanho sao eles também tenho buscado auxilio em Deus, me mudei de estado recentememte e tenho tido algumas dificuldades pois fico o dia todo so, estou sempre alerta se estou bem ou mal,qualquer sinal ja fico exaltada ,hoje o q mas desejo e me curar disso

  6. helen c moraes disse:

    olá,descopri q estou com a sindrome do panico faz 2 meses,estou tomando fluxetina 20 mg apos o café da manhã,e quando sinto q vou ter uma crise tomo 2ou 3 gotas de rivotril,e meu medico é uma neurologista isto tá certo? ela me passou piscoterapia mas estou esperando surgir uma vaga pq ñ tenho condiçoes de pagar,me ajudem!!!!estou no caminho serto?pq as vezes acho q estou curada fico 1 ou 2 dia sem tomar o rivotril,mas tb no outro dia chego a tomar 3 gotas tres vezes ao dia,soocorro me ajudem!!!!!!!!!!grata.

  7. Maria das dores disse:

    Tenho Sindrome do Panico fazem 3 anos ,mas só agora a 6 meses que descobri ,tenho crises fortes ,desmaio e ao acordar vomito muito ,vou para emergencia.Hoje me trato com psiquiatra ,tomo medicamentos .Luvox 100mg,Pamelor 25mg e 1/2 c de rivotril ao dia e ainda faço psicoterapia .Estou me sentindo melhor mas ainda tenho medo de ir a restaurante reunio~es pois me sinto fragilizada .Gostaria de aprender tecnicas de desensibilização e e auto observação ,se tivesse algum livro ,pra ler ppois muitas vezes fico com medo de não melhorar me ajudem ….

  8. Juliana disse:

    Oi Maria das Dores, o primeiro passo, e lançar-se na misericordia divina, assim como rio se entrega ao mar. aApos isso, ja que ta se tratando, passe a ocupar-se com coisas que despertem em seu coração, sentimentos bons, observe cada acontecimento do seu corpo e diga a si mesma, eu ja te conheço, nao se apavore, essas coisas segundo pesquisas, nao trazem maus físicos, passe a se observar, procure ocupar sua mente, manter a atençao voltada a outras coisas a nao ser se pré-ocupando com sua mente a todo instante, e verá que nao terá tempo de ter medo das crises, procure se expor a situações mínimas q disparam a crise, at superá-las e va devagar enfrentando seus medos, so voce poderá fazer isso, o medo é necessario, mas nao deve ser prisioneiro. respire e expire sempre a todo instante, vagarosamente, leve oxigenio e vida ao cerebro. alimente-se bem, viva coisas que lhe fazem bem, que lhe trazem alegria até mesmo uma banho demorado e qentinho nesse frio, tocando cada parte do corpo sentindo-se a si mesma, enfrente-se com coragem, leia na net, artigos de auto regulamento, qualquer palavra ou sintomas que nao conhece, busque conhecê-los assim ficará mais facil de conviver com eles, e nao imaginar que sao absurdos e aterrorisantes. Deus tudo pode, Acredite, Eu com Ele estou conseguindo, Felicidades. Deus a abençoe, estou sempre por aqui, nao desista voce vai conseguir.

  9. Alda Amaral disse:

    Para a Viviane,

    Minha querida, passei por isso… quando mudei-me de minha cidade natal para onde moro hoje (há 8 anos). Quer uma idéia??? Procure fazer algo que goste. Ler, tocar musica, artesanato. Qualquer coisa que ocupe sua mente.
    Se não gosta destas coisas. Saia para passear. Procure prestar atenção no sol, na natureza, nas pessoas na rua. Tente não ficar sozinha em casa. Se ainda assim, vc não perceber melhora. Procure uma igreja ou hospital e tente se dedicar a pessoas que precisam de sua ajuda. Sabe, ver o problema dos outros nos faz perceber o quanto somos abençoados por Deus, que nosso problema não é nada perto dos demais.

    Pense nisso.

    E se quiser, pode me escrever.
    aldagaldin@msn.com

    Um abraço
    Alda

    Ps. Estou passando por crises de pânico de novo (depois de 3 anos de alta), mas estou aplicando tudo o que aprendi na época da minha terapia e com fé no meu Deus maravilhoso vou sair dessa.

  10. Carmen disse:

    Tenho pânico a mais de 10 anos, achava que eu era cardiopata, e tinha medo de ir ao cardio e ter o diagnostico, Foi qdo achei que iria morrer e fui levada para uma pronto socorro cardio, lá foi diag. Panico. Fazem mais de 5 anos de tratamento e com diversas medicaçoe. Nada funciona. Fico com deprê. Isso me atrapalha em tudo. Estou preste a receber alta do INSS por depre, mais panico e outra patologia. Nem sei como irei para o centro da cidade e trabalhar no meu horário noturno… Não consigo ir a qquer lugar q tenha muita gente, e nem dirigir muito menos entrar em elevador. É estranho isso ter ocorrido, pois eu era uma pessoa alegre, esportista, de bem com a vida. Espero sempre uma pírula mágica que resolva tudo isso e eu me reconheça de novo. Faço psico, vou ao psiquiatra e neuro e nada de melhoras. O melhor que fiz foi fazer um curso com apenas 5 pessoas na sala de aula e perto de casa, uma reciclagem do que eu me formei. Só assim me sinto útil, mesmo com todo esquecimento que tenho e nervoso na hora dos exames me esforço para lembrar que isso passa, e que tenho que me controlar. Abçs a todos e melhoras, não deixe que essa doença vença, lute pois estou lutando para ser normal de novo!

  11. Danilo disse:

    Tenho 23 anos, e tive o primeiro ataqe de pânico com 9 aninhos apenas…vindo a ter o segundo com 17, onde um cardiologista diagnosticou, sofria mto com os ataqes…enfim, fiz tratamento com um psiquiatra até aos 20 anos tomando ANAFRANIL 25mgs, durante 4 anos acreditei estar curado!! porém…está voltando tudu di novo……atualmente venho tomando RIVOTRIL…tenho tido resultados satisfatórios durante a madrugada onde eu rangia mto os dentes…porem no meu trabalho, horario do almoço principalmente, não consigo de forma alguma entrar no restaurante…isso tá coomplicado prá vencer ;\…gostaria de saber de uma coisa…
    fui num parque aquático semana passada e passei um medo fora do normal em um certo brinquedo…foi uma coisa mto ruim mesmooo!! até vomitei de medo…acredito que uma pessoa normal ke tenha medo ‘normal’ não sofriria como eu sofri, há alguma coisa para curar o ‘medo do brinkedo’ por exemplo!? ou ieu devo evitar me expor a ele? algem me ajuda…e algem poderia me indicar um livro tbm??

    obrigado!!!!

  12. Sandra disse:

    Olá Danilo, eu também estou na luta contra este problema, pesquiso muito na net e leio muito, tenho ouvido músicas relaxantes e feito meditação que tem me ajudado maravilhosamente, continuo com os medicamentos (esta é a segunda vez que tenho este problema) e preciso aproveitar este tempo enquanto tomo os medicamentos, (seja quanto tempo for) para mudar a minha mente ansiosa.
    A nossa mente parece uma fera e precisa ser domada, na verdade este lado da mente parece um filho rebelde, fazendo o que não queremos e nos desconcertando diante da vida, pensando nisso e diante de tudo o que já li, resolvi conversar com esta “mente” em voz baixa é claro, e a trato com amor, falo como se estivese falando com alguém mesmo e no fundo ela por estar assim tem agido indepedente daquilo que quero (ninguém quer ter medo ou síndromes do pânico). Além de ouvir as músicas que dedico a este lado problemático da minha mente, falo com ela com amor e carinho, do tipo:__Calma menina, não fique assustada, eu estou aqui, e inclusive me imagino envolvendo esta mente problemática com cores rosa e azul (que segundo li acalmam e eu comprovo isso pelo que tenho sentido). Passei a tratar esta mente como “alguém” que precisa de ajuda. Percebo então que ela se acalma e não tem ido contra a minha vontade (não tenho sentido medos). Pode até parecer um pouco diferente esta técnica, mas como li no Livro OSHO somos nós quem temos que dominar e controlar a nossa mente e não a nossa mente que deve nos controlar, nós temos dentro de nós consciência do que é bom ou ruim por isso temos que ficar atentos, você controla o seu corpo e não o seu corpo te controla. Quando me pego querendo ficar apressada para nada, penso logo:__Acalme-se menina, nem tenho compromisso nenhum… Faço técnicas de respiração e não dispenso as músicas que me fazem “viajar”. Mas acima de tudo trato a minha mente que está problemática falando com muito carinho. Ao dormir imagino que a envolvo com uma cor rosinha e azul claro (isso pode ler nos livros de cromoterapia) e coloco-lhe um ramalhete de rosas e ainda mais lhe desejo uma boa noite, mas com muito carinho mesmo. Você não tem noção de como isso acalma esta mente e ela parece tornar-se uma “boa menina” rsrsrs.
    Sinto-me tão bem…tive uma crise há uns 3 meses e me sinto quase curada, vou permanecer cuidando desta “mente” que absorveu coisas negativas e fragilizou-se, vou continuar tratando-a com muito amor e sei que ela irá se assemelhar ao lado positivo da minha outra mente. Deixei no tópico função do medo algumas coisas que tenho feito e alguns links que encontrei…se quiser dar uma olhadinha lá… fique à vontade
    Deixo-te o meu email caso queira conversar sobre estas coisas, penso que um ajudando o outro chegaremos mais facilmente na cura:
    sandrare_1@hotmail.com

    Li um livro bom chamado o Poder do Subconsciente, baixas facilmente na net deixo-te o link do Scribd:
    http://www.scribd.com/doc/7309593/o-Poder-Do-Subconsciente

    Este também fala da mente:
    http://www.scribd.com/doc/7288152/AmorVerdade-e-Felicidade

    Este também é bom e ajuda a acalmar a mente através da meditação:
    http://www.scribd.com/doc/2525780/Daniel-Goleman-A-Arte-Da-Meditacao

    Se pesquisares no Scribd encontrarás muita coisa a respeito.

    Um abraço e muita força e luz!!!

  13. Danilo disse:

    Pôxa… Sandra… muito obrigado pela ajuda…tô peskisando no scrib ake tbm…espero melhorar logo, pois cura…acredito ke não exista…o que existe é um tempo em que a gente se sente melhor…e esse tempo pode ser 5…10…12 anos…ou 2, 3 dias… ;\….boua essa técnica que vc usa de conversar com a mente…hehe..esses tempos vi uma frase que gostei mto.. ‘

    ”a mente domina o corpo, mais nem sempre a mente domina a mente”
    eu axo a mais pura verdade.., esses dias tem sido dificil prá mim, naum imaginava ke fosse pasar por isso novamente..mais en fim, ficar se lamentando e fugindo não vai adiantar!.. infelizmente estou recorrendo aos remédios novamente…rsrsrs espero ‘alcançar a melhora’ o quanto antes…

    um forte abraço prá ti!! ;)

  14. Alda Amaral disse:

    Para o Danilo,

    Danilo, a vivência me diz que o medo é desencadeado quando alguma situação ou local te remete incoscientemente a outro momento que te causou alguma dor ou trauma. Quando você relata que não consegue entrar no restaurante de onde trabalha, procure identificar se algo ou alguém te incomoda, procure que vai identificar: uma vez que souber o que te causa medo, diga para você mesmo que não há ameaça nenhuma e que nenhum mal vai te acontecer. A mesma coisa com o Parque Aquático, tente lembrar em que situação você passou mal e porque: alguma pessoa, lugar ou fato foi lembrada no momento anterior à crise. Aprendendo a identificar o que te causa medo e se convencendo que de nada é uma ameaça, você vai se ajudando e superando esses momentos.
    Creia: tudo passa!!!! Tudo!!!

  15. Danilo disse:

    Alda….. então, passei por um outro psiquiatra essa semana, e venho tentando saber o que me causa esse ‘medo’ …mais não consigo achar o que me ‘incomoda’ de verdade…..sou uma pessoa anciosa, porém não sei se é isso que gera o transtorno, não existe um problema em específico que aconteceu no restaurante por exemplo para ke eu não possa entrar ke comece a ranger os dentes..a tremer…e quanto ao parque aquático, há algum tempo atrás eu poderia me divertir normalmente…não tive nenhum trauma tbm…..essas coisas vem e passsam como se nada tivessem acontecido…e as vezes posso andar em meio a mtas pessoas normalmente sem ke nada me aconteça, porém as vezes…sinto uma dor no peito fora de sério…e uma tonturaaa qe embaça toda minha vista, mtooo medooo…e eu num sei de ke!?!?!?!.e eh isso ke mais me incomoda….
    voltei a tomar ANAFRANIL…e tómo o RIVOTRIL somente quandome sinto mal, não gostaria de ficar dependente desses remédios…mas não tô vendo outras opções… ;\ preciso de ajuda….

    obrigado ALda!!!! boa noite…

    • Antonio disse:

      Danilo vc sente apenas medo ?? ou acontece algo fisiologico com vc ???
      meu problema eh parecido com o seu !
      acredito q vc deve em principio ter medo das pessoas (vergonha), ou de almoçar em algum lugar com outras pessoas .
      comigo eh mais ou menos isso!
      o que tem me ajudado e me pergunta o PQ q eu tenho medo de tal coisa !!
      vc deve se pergunta o PQ tm medo de almoçar la, se quando chega na frente do restaurante ja fica com medo , e pq esse medo ?

  16. Laura disse:

    Sofro com sindrome do panico ha quase 4 anos… estou na segunda recaida. Este ano tem sido o mais complicado pra mim, me sinto mal sempre, nao saio mais sozinha e quando saio passo mal. Procurei um medico, neurologista, ele me passou um remedio natural, pois antes eu tomava Rivotril e Pondera, me viciei na medicaçao. Eu tenho ideias fixas de que tenho problemas cardiacos, como arritimia por conta dos meus sintomas. Nao sei mais o que fazer, onde procurar ajuda pra me livrar disso de vez. É horrivel!!
    Que quises bater um papo comigo, acredito que vai me ajudar compartilhar com outras pessoas que passam pela mesma dituaçao que eu. Agradeço.
    Abraço a todos

    meu email – laura.fvieira@hotmail.com

  17. Bárbara disse:

    Crises de ansiedade são curáveis basta pensar que estar tudo bem em seu corpo que a ciência prova isso, se procurar por um médico vai ver que esta tudo funcionando bem. Basta dizer isso a si mesmo que seu corpo vai escutá-lo e que você é capaz de sair dessas crises por conta própria pq viver preocupado sentindo-se mau, vive o hje não preocupe-se com o amanhã, você está bem está respirando então não se sinta preso em si mesmo, liberte-se e verá que a um mundo te esperando lá fora que há muitas coisas para serem feitas que Deus está ao seu lado e que vc tem uma missão nesse mundo a cumprir e que vc é capaz de realizar coisas que antes achava ser impossíveis. Vá em frente supere-se e seja feliz

  18. Alexandre disse:

    Tive crise de vertigem na adolescência, achei que era medo de alturas, ao fim do mundo; depois era pánico na rua, sempre em situações de transição na minha vida: passar da infancia à adolescência, morar sozinho em outra cidade. Respostas da medicina clássica foram: hipoglicemia, pressão baixa/alta, deficiência cardíaca, depressão, hipeventilação, etc. Sempre fui uma pessoa zero stress, muito calma. Tenho um amigo em situação parecida, só que ele desenvolveu epilepsia depois dos trinta. Tenho algumas hipóteses: desamparo metafísico, intolerância a um estado diferente de consciência (será que a gente está nas portas da iluminação? rrrss), alguma situação ou verdade que não se quer, não se sabe, ou não se tem força para assumir na própria realidade. Alguém já teve ataque de pánico em casa ou meditando?

  19. ilana disse:

    Bem, eu não sei bem se o que sinto se encaixa nesse quadro, por isso resolvi perguntar aqui!
    Eu tenho uma dificuldade enorme pra respirar, parece, que tenho que fazer uma força a mais, o ar não é o suficiente…tudo começou quando eu tive um quadro sério de sinusite, mas ela passou, e a adificuldade para respirar ficou..
    Fui a uma pneumologista, e ela disse que estava tudo certo, mas não pediu nenhum exame…disse que provavelmente era só ansiedade..
    Quando tenho que apresentar um trabalho, fico nervosa, mas depois que começo a apresentar, me saio bem, falo tranquilamente…Mas quando tenho que falar, por exemplo, numa entrevista de emprego, onde não conheço ninguém, fico muito nervosa, e acabo me saindo mal..
    Além dessa dificuldade para respirar (presente sempre), quando fico nervosa demais, tenho um pouco de tremores, só quando estou muito nervosa, mas tenho bons relacionamentos pessoais, e uma vida estável, não me sinto abalada por nada, mas lendo a respeito do que estava sentindo na internet, acabei chegando aqui… e quem sabe, pode ser ter haver…espero opiniões..obrigada

  20. Danilo disse:

    Ilana…. acredito que você tenha ficado com aquele certo ‘trauma’ de ter tido sinusite, e tenha tido um certo ‘medo’ da doença…..a falta de ar é uma causa da ansiedade.. falar em publico e talz…tremores, isso gera um pânico, uma fobia social…eu tinha esse grande problema de falar em publico…apresentações da faculdade…oxê…tomava rivotril para combater isso, hfhahhha mas….acredito até ke seja essa ansiedade que tenha gerado o pânico…. ;\ aconselho vc que faça umas seções de terapias com um psicólogo e tenha um pensamento positivo …desabafe o que sente, não prenda nenhum rancor dentro de ti…. boa sorte!!!

  21. Fabiola disse:

    oi Artur, esse texto relata o que eu realmente senti “ coração dispara, a respiração fica difícil, as extremidades gelam, as mão transpiram… e claro mais sintomas esquisitos.
    E mais como vc mesmo disse, “é comum que a pessoa se sinta “pior” nas primeiras semanas, quando inicia a medicação.”
    Porém eu fiquei tão assustada com a crise que veio logo após a medicação que eu mesma suspendi. Continuei tendo as crises porem cada uma de uma forma diferente. E passei a fazer um trabalho comigo mesmo, a me conhecer, a conversar com meu EU.
    Exatamente o que tem no texto do blog, aprender a controlar meu corpo, mas as vezes é inevitável, mas não tive crises intensas.
    Apenas peço muito a Deus para que eu não tenha mais isto.

  22. stella disse:

    ola nao suporto mais conviver com estas crises alguem me ajuda

  23. Luiz (Maranhão) disse:

    Olá pessoal, tenho 29 anos e gostaria de saber se o meu problema pode ser a tal da ansiedade, a um bom tempo venho tendo prblemas para sair em festas com amigos e com minha namorada, tenho muito medo de passar mal durante as festas por isso antes de sair de casa vou ao banheiro pelo menos umas 3 a 4 vezes, se fosse xixi tudo bem, mas é o nº 2 rsrsrs. mesmo assim as vezes ainda preciso correr no banheiro de boates e schows, fico nervoso com isso q as vezes me da ancia de vomito também. Em janeiro vou me casar, e é só pensar nele q as vezes ja presiso ir ao banheiro pode? tenho quase certeza q vou passar mal dentro da igreja será q alguém pode me ajudar?

  24. Edson disse:

    Stella, so uma ajuda médica profissional ira te ajudar efetivamente … o blog serve para que situaçoes de outras pessoas se associam e que vc intenda esse disturbio piscologico.. e assim 1 passo para se curar e aceitar, 2 treinar o auto – controle (eu mesmo estou com problema nesse passo) reagir contra si mesmo e dificil, 3 tomar o remedio para auxiliar essa superação

    Luiz, na minha opnião issu e inicilamente um transtorno de ansiedade sim .. não que seja uma sindrome do panico (ainda) … a espera do casamento e todo preparativo pode estar agregado a essa ansiedade… Eu mesmo fiz um tratamento a uns anos atraz fiquei 100% por 2 anos sem nenhum problema, quando chegou 6 meses antes de me casar voltei a ter as crises por causa de conjunto de stress (Trabalho, Casamento, Faculdade) … Hoje estou administrando meus ataques com Rivotril 0,25mg … e tentando usar auto-controle …

    Obs: Eu me casei mês passado e deu tudo certo ….

  25. marcella disse:

    Gente, tenho pânico há 1 ano…e meu tratamento foi suspenso. sentia as famosas dores no coração, sensação de desmaio e tonturas. Porém, por esses dias senti tontura ao ponto de ter que tomar remédio para vertigem e estou assustada com uma coisa. Tenho sentido muita dificuldade em falar …sinto como se minha garganta estivesse apertada e a ligua presa…sendo dificil a prouncia de algumas síladas…sinto a boca mole..sei la!!!
    Gostaria de saber se alguem já chegou a sentir essas coisas..me ajudem.

  26. maria feiten disse:

    Olá gente.Tenho depressão e sindrome do panico há mais de 25 anos.No início,achei que iria morrer jovem,tais a intensidade das crises e falta de conhecimento desses transtornos.Não havia remédios específicos.Comeci a estudar junto com meu terapeuta.E descobri quase tudo …A ciência evoluiu,o conhecimento humano se aperfeiçoou e os pacientes entenderam melhor sobre elas.Hoje,estou com 60 anos e,digo,esses trastornos são constitucionais,isto é,já fazem parte de nós,desde que nascemos.Mas digo,das primeiras crises até hoje,posso dizer que,nesse longo tempo percebi que não há a cura completa,pois isso faz parte de nós.Já nascemos assim.É como se nascemos sem uma mão;não podemos fazê-la crescer no decorrer de nossa vivência,mas podemos,sim,com fé em Deus,principalmente,entendimento,aceitação eajuda da ciência,desenvolver nossas outras virtudes para compensar esta.Assim,muita fé,remédios sem abuso e auto conhecimento ou ajuda profissional.Tenho certeza,hoje,que,sem isso,não teria evoluído tanto e,se não tivesse uma mão,teria em dobro forças e habilidades com a que tenho.
    Um grande abraço e fé em Deus.

  27. Paulo Gomes disse:

    Gente, é dificil sim pois tenho sindrome do panico a 4 anos , tinha sensação de pré morte e que iria ter um ataquer cardiaco ….
    O que me ajudou muito foi terapias alternativas ( reiki massoterapia,.flooral,etc) mas também homeopatia , consegui muito , ainda tenho crise , inclusive nesse momento…. mas digo a vc pelo que li e descobri , além disso é que :
    NOSSA MENTE A CADA LEMBRANÇA QUE TEMOS DE UM FATO OU SENSAÇÃO ASSOCIA AO PANICO , E RECENTES PESQUISAS , RELKATARAM QUE NOSSAS LEMBRANÇAS NÃO SÃO COMO FOTOS GUARDADAS , MAS QUE ELAS SÃO ”ATUALIZADAS” COMO ARQUIVOS PORTANTO É UMA NOVA MEMORIA E RECENTE…. ENTENDEM ENTÃO QUANDO VC RELEMBRA UM FATO QUE DESENCADEIA O PANICO VC REAVIVA ELE …. ACREDITO QUE O MELHOR SEJA USARMOS ESSA FERRAMENTA EM NOSSO BENEFICIO , OU SEJA QUANDO TIVERMOS ESSA LEMBRANÇA INSERIRMOPS AOS POUCOS UMA ”ATUALIZAÇÃO” MENOS DRAMATICA PARA NÓS , ATÉ AMENIZAR., AMENIZAR E CHEGAR A MUDAR OU A CURAR ESSA FRAGILIDADE QUE TEMOS , POIS É APENAS MENTAL….. BOA SORTE A TODOS TENTEM FIUGIR DOS REMEDIOS O QUNTO PUDEREM ……

  28. sheila disse:

    eu me identifique é a segunda vez q eu fico assim é horrível fico nervosa com sudorese +meu coração não fica tão acelerado da outra vez ficava eu cheguei a que meu peito ia explodir q minha p.a estava muito alta por conta disso eu até deixei de fumar no meio de 1 separação e quando descobri q meu filho de treze anos iria ser pai ,a e não me esquecendo filho esse q é único e diabético desde 8 anos hj ele tem 16 e é rebelde glicose gira em torno de 300,350,400mgdl +tudo isso passou h minha neta tem 2 anos eu tenho 33 e o pai 16 agora qualquer coisa eu fico com medo de perder o controle ficar louca sei q isso é uma neurose e sei tbm q quando eu estou com 1 problema que não consigo resolver fico assim acho q me falta atitude de resolver meu conflitos em qualquer áera ai se me sinto insegura em relação a alguma coisa fico mau é isso senão não paro + é mais ou menos assim

  29. sheila disse:

    por favr alguém me responde eu tomo clonazepam 0,5 todos os dias pq eu teho medo de passar por tudo q eu passei da primeira vez de sentir meus músculos se mechendo se contraindo é ruim horrível então por conta disso eu tomo esse remédio todos os dias,nunca + pensei q iria pasar por isso esses dias cismei q estava com dengue hemorrágica e na vdd eu só tinha 1 febre e tonteira talvez até pelo medo + é isso eu acho q sei como essa situação desencadeia na nossa vida ,basta não estarmos satisfeitos com aguma coisa ou algo conflitante dentro de nós q logo transfirimos somatizamos no nosso corpo sei lá pode não ser nada disso + sei lá eu acho q é por favor me responda alguém tenho muito medo de estar ficando é louca sabe e nen louca .ajude-me por favor

  30. Carlos Alberto disse:

    A todos meu abraço.
    Pessoal, li os depoimentos e fiquei muito emocionado com tudo que vi, é exatamente assim que me sentia, ainda sinto só que com o tempo você vai se “acostumando” com as crises e elas vão diminuindo. Meu analista fala que o caminho é esse: “vivenciar o momento, porque a vivencia e aceitação vão enfraquecendo as crises”. Uma coisa é certa: ninguem morre por ter depressão, sindrome do pânico e etc. É certo, tambem, que só quem passa por crises como estas é que sabem o que significam. Ouvi algumas pessoas dizerem pra mim quer era “frescura”, “autocomiseração” e por aí vai, inclusive ouvi isto de um amigo que é formado em psicologia. Por outro lado conheço psicologos que sofrem de depressão, pânico, ansiedade. É curioso. Os conselhos dados neste blog são importantíssimos, é verdade que você tem que encarar a situação prá desobrir que foi uma experiencia desagradável sim, mas que não te deixou sequelas, e que na próxima você pode dizer: ôpa!! já senti isso antes e demorou pouco, foi muito ruim, mas venci, desta vez vou vencer de novo. É claro que não é facil, tomo remedio pra controlar quando sinto que o controle está se esvaindo, uso alprazolam e recentemente comecei a tomar triptofano. Tentei desmamar por 3 vezes e foi uma experiencia muitissimo desagradável, mas sei que vou conseguir com ajuda do meu analista e assumindo posturas de racionalização das emoçoes, o eu observador (referido no blog), e encarando a situação da maneira mais equilibrada possível. Tenham fé, não importa se você crer ou é ateu, acredite que vai sair dessa vitorioso, isso ajuda muito. Eu tô no caminho, e o amanhã não sei se o terei, por isso viva só o hoje e seja otimista.
    Sintam-se abraçados.
    Se alguem quiser entrar em contato para trocarmos experiencias, o meu e-mail: u1956@hotmail.com

  31. Sueli de Cássia disse:

    Boa tarde,

    gostaria de saber se o Sr. poderia explicar as outras estratégias de auto-gerenciamento, pois desde que conheci o blog a técnica da respiração em 4 etapas tem me ajudado e gostaria muito de saber/fazer as demais, citadas acima: a postura, o tônus muscular, o olhar, a atenção etc, ajudaria muito, pois quanto tenho crise não consigo interferir no meu corpo para amenizar as sensações ruins (também citadas acima), apenas com a respiração.

    Muito obrigada

  32. Antonio disse:

    Ola tenho duas perguntas !

    gostaria de saber se eh bom falar desta doença para amigos, familiares e colegas de serviço emfim que “todo mundo” saiba q vc tem essa doença ????

    e outra .

    eu acho q eu tenho as duas “coisas” fobia social e panico, ao meu entender começou com fobia social (medo de apresentar trabalhos na faculdade, entrevista, almoçar em publico, etc), e depois evoluiu para panico (sudorese quando realizada as mesmas atividades citadas as cima: apresentar trabalhos, almoçar em lugar publico com pessoas estranhas, etc..) é possivel ??

    até para escrever isso me da um poco de ansiedade.

    aguardo resposta de alguem..

  33. Ana Roberta a. alves disse:

    Tenho crises de pânico frequentes , só que meu problema é achar que tenho um problema cardíaco devido uma tremedeira que sinto como se o coração viesse até a garganta e voltasse, automaticamente fico gelada, pálida e altamente nervosa, essa crise dura cerca de 15 minutos e depois vem a sensação de amolecimento. Fico confusa e em dúvida se isso é pânico ou não . sinto pelo menos uma vez por dia , é tipo um palpitação. Já fiz, eletro, ecocardiograma, holter e teste ergométrico e todos os meus exames são normais. O que devo fazer? Estou em desespero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>